sexta-feira, 5 de julho de 2013

O negócio da beleza

A beleza se tornou uma das variáveis mais importantes deste século, por priorizar a estética e movimentar uma economia, hoje constituída por dezenas de atividades e profissões, respondendo por algo em torno de 40% do PIB.
Fonte: www.luxurylab.com.br
A estética será a marca do século XXI, em que as pessoas vão procurar produtos que as deixem belas e em destaque. Quem souber aproveitar esse momento – de produtos diferentes e estética atraente – estará à frente da concorrência. O raciocínio é do professor Silvio Passarelli, diretor da Faculdade de Artes Plásticas da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), onde dirige o curso de extensão Universo da Beleza, que terminou de formar a primeira turma em maio e prepara a segunda edição do curso para agosto. “Nosso objetivo é analisar a importância do elemento estético no mundo contemporâneo e suas diferentes aplicações”, explica.

Segundo o professor, o tema é amplo, complexo e, até mesmo, polêmico, trazendo a sensação de que se trata apenas do ponto de partida para grandes discussões. Ele lembra que o século passado foi baseado na crença no Estado e nos avanços tecnológicos. “A queda do Muro de Berlim e a tecnologia – que apesar de trazer o progresso material, não trouxe a prometida felicidade – geraram a oportunidade para o surgimento de um novo momento de busca da afirmação do indivíduo”.
Desse modo, a beleza se tornou uma das variáveis mais importantes do século XXI. “O mundo vive hoje o neo-hedonismo, a retomada do prazer e da individualidade, e já se pode falar em uma ‘economia da beleza’, constituída por dezenas de profissões e atividades que respondem por algo em torno de 40% do PIB das economias modernas”, complementa.

A indústria brasileira de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, por exemplo, apresentou um crescimento médio de 10% nos últimos 16 anos, segundo a associação do setor. Vários fatores contribuíram para este resultado, como por exemplo, o aumento da participação da mulher no mercado de trabalho e a ampliação da expectativa de vida, o que traz a necessidade de conservar uma impressão de juventude.

Mas, o Universo da Beleza é muito amplo e envolve outros segmentos, como os da arte, cirurgia estética,  cultura, imagem, filosofia, música, moda, nutrição e sociologia, entre outros.

A beleza está no olhar do observador
A questão da beleza talvez seja um dos temas mais debatidos atualmente, devendo-se diferenciar o “belo” e entendê-lo como sendo um estímulo que provoca um estado diferente da realidade cotidiana, suscitando profunda emoção.
São vários os aspectos históricos, sociológicos e filosóficos da beleza em suas diversas manifestações. Etimologicamente a palavra ‘beleza’ significa ‘habitar na casa de Deus’. O conceito de beleza está historicamente ligado à bondade e à verdade. Era belo o que elevava o estado de espírito a boas sensações.
Para o professor Passarelli, o ideal de beleza sofre constantes metamorfoses, porém o que não muda é a busca por ela e sua subjetividade. “A beleza não está no objeto, mas sim no olhar do espectador e esse olhar varia de acordo com a cultura, a época histórica e as concepções filosóficas”, destaca, concluindo que a afirmação da beleza passa pelo ‘espírito’ do observador e coloca a beleza no delicado plano dos sentimentos.
Fonte: luxurylab.com.br

quarta-feira, 3 de julho de 2013

O amor e a moda em mais um filme “fashion"

Se você gosta do mundo da moda e principalmente aquele "lado bom" das viagens, cidades inusitadas e tudo que há de diferente para alimentar as referências do mundinho fashion fique atento neste projeto.
Foi divulgado nesta terça-feira, 2, o primeiro trailer do filme Latitudes projeto cinematográfico estrelado e produzido pelos atores Alice Braga e Daniel de Oliveira.
Dirigido por Felipe Braga, o filme narra os encontros e separações de um casal que se encontra em hotéis de alto padrão, estações de trem e aeroportos na América Latina, Europa e Ásia.  No longa,  Alice Braga interpreta Olívia, uma editora de moda que viaja o mundo pesquisando tendências. Já Daniel de Oliveira é José, um fotógrafo que viaja o mundo fazendo editoriais.
Foto: divulgação
O projeto foi dividido em oito partes e será veiculado em dois formatos complementares, além da versão em longa-metragem. Para a internet, será veiculada na versão em 12 minutos em canal customizado em parceria com o Google. Já para o canal TNT, cada episódio terá 22 minutos de duração.
Confira o trailer e aguarde que traremos mais informações sobre onde assistir.
video
Fonte: Use Fashion

Setor têxtil precisa de condições tributárias isonômicas

Competição desleal com produtores situados em países sem marco regulatório trabalhista, ambiental e de segurança mínimos, de acordo com coordenador de comitê da Fiesp, Elias Miguel Haddad , dificulta participação brasileira no mercado internacional.
História viva da indústria têxtil moderna do Brasil, o empresário Elias Miguel Haddad acompanha a evolução do setor ao longo das últimas seis décadas.

Elias Miguel Haddad , vice-presidente da Fiesp e coordenador do Comtextil. Foto: Everton Amaro/Fiesp
Haddad é vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), diretor do Departamento de Competitividade e Tecnologia (Decomtec) e coordenador do Comitê da Cadeia  Produtiva da Indústria Têxtil, Confecção e Vestuário da Fiesp (Comtextil) da entidade. Também preside o Sindicato da Indústria da Malharia e Meias no Estado de São Paulo (Simmesp) e o Conselho Empresarial Brasil-Turquia.
Em entrevista ao portal da Fiesp, ele afirma que a indústria têxtil brasileira apresenta produtos alinhados aos melhores do mundo, mas, por conta de fatores conjunturais, ainda tem muitos desafios a superar para manter-se competitiva;
Eliminar gargalos burocráticos e lutar por uma ampla reforma tributária e trabalhista são algumas das prioridades listadas pelo vice-presidente da Fiesp.

Veja a seguir a entrevista – na íntegra - concedida ao portal da Fiesp:
Fonte: Fiesp - por Dulce Moraes e Isabela Barros

domingo, 30 de junho de 2013

Virando a própria mesa

Quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez?

Quando foi que você realmente atendeu o seu primeiro impulso, ou que irritante sensação persistente está lhe pedindo para fazer?

É mais fácil ficar onde está, fazer o que você sabe, ser seguro, não empurrar. Tomar o mesmo caminho, pedir a mesma refeição, sair com as mesmas pessoas, fazer o mesmo trabalho.

Mas se você não testar constantemente seus limites, você nunca vai encontrar o que você é capaz de fazer.
Se você sempre passar por cima de onde o bar é o mais baixo, você nunca vai saber o quão alto você pode pular e, quer saber quando?
Agora!

AGORA é o momento mais absolutamente perfeito para experimentar essas coisas novas, para explorar novas cidades , para provar novos alimentos, para iniciar um negócio, para escrever um livro, para participar de uma maratona, para ir mergulhar, para começar a jogar squash, para começar um blog, para dar aquele jantar, para propor.
Agora é a hora de descobrir o que você está aqui para fazer. Quanto você pode fazer? O que você pode alcançar?. Quanta diversão que você pode ter? Quanto você pode dar?
Agora é o momento ideal para experimentar a vida. Para viver sua vida. Nós todos sabemos que isso – A Vida - não é um ensaio, mas vivemos como se fosse.
Mas estamos falando sobre o uso de todos os seus talentos, competências e habilidades agora. Porque agora é tudo o que qualquer um de nós temos. E é  por isso que estamos nesta terra. Para viver nossas vidas plenamente.
E quer saber.. hoje é o dia de mais um inverno em minha vida, sim digo inverno porque nasci no inverno e gosto do frio, principalmente quando temos - ainda - a vida inteira para mudar.
Fonte: www.thecoolhunter.net